A liberdade de imprensa

No dia 7 de junho marca o Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, uma data muito importante que deve ser cultuada!

 

A conhecida lei da mordaça, campeou em vários momentos históricos do Brasil, do período imperial as ditaduras de Vargas e dos Militares, nelas se teve a imprensa censurada, aliás, em qual ditadura que não existe censura? Videm os regimes socialistas e comunistas, só se pode escrever elogios aos governos e quem criticar morre!

 

Todos concordam que a imprensa deve ser livre, mas que essa seja uma imprensa responsável, ética, comprometida com a verdade e não com os interesses partidários e ou corporativos, qualquer país precisa de uma mídia que defenda o bem comum em benefício da sociedade como um todo, sem jamais confundir a liberdade com libertinagem.

 

É evidente que a democracia só se sustenta com a prerrogativa de uma imprensa livre, porém distante do monopólio, quanto mais veículos de diferentes donos tivermos, melhor, não é possível uma nação ficar algemada em meia dúzia de veículos e do mesmo dono, merece muito mais que meia dúzia de veículos nacionais, divulgando notícias internas ou externas com legitimidade, desassociado aos demais poderes.

 

Aqui alguns da imprensa enfrentaram com bravura as ditaduras de direita e muitos promoveram as de esquerda, dentre esses, poucos nobremente, porque em maioria viu-se atuarem em nome das facilidades governamentais e principalmente os graúdos, pela certeza na virada do jogo quando fosse necessário, tendo a mídia os poderes econômico e político maneados, é só mandar tocar a música, que o povo e os políticos dançam.

 

É nesse estágio que termina a imprensa democrática e inicia a ditatorial ou oficial, quando o quarto poder vira o primeiro, (cá pra nós, o Brasil há muito está nessa cilada), uma mídia integra tem que respeitar as liberdades, para garantir a sua, pois nem o direito de resposta conserta um prejuízo de imagem moral pessoal ou institucional.

 

Para pensar: O poder da imprensa, não pode estar dentro dos poderes político econômico e ou religioso, todos devem ser independentes.