A Mensagem dos Símbolos Nacional

No dia 29 de abril, comemora-se o Dia do Hino Nacional brasileiro, escrito por Joaquim Duque Estrada, crítico literário, ensaísta e teatrólogo, nascido em 1870 no distrito Pati do Alferes, do município de Vassouras, do Estado do Rio de Janeiro, no ano de 1870, e, falecido em 5 de fevereiro de 1927, aos 57 anos. Cabe destacar ainda que o Osório do nome desse Joaquim, é em homenagem ao General Osório, gaúcho patrono da cavalaria, que foi padrinho do Joaquim Osório Duque Estrada.
Segundo a Constituição, os quatro símbolos oficiais da República Federativa do Brasil são a Bandeira Nacional, o Hino Nacional, o Brasão da República e o Selo Nacional.

Sua apresentação e seu uso são regulados pela Lei n. 5.700 de 1º de setembro de 1971.

Os símbolos nacionais de qualquer país, tem algo por mais de importante, neles estão contidos todos os elementos que representam o sentimento de uma nação. É conhecendo, entendendo esses símbolos que o cidadão passa a amar sua Pátria, devotando respeito ao conjunto social que formam a nação de origem ou em que vive, pelo sentimento do patriotismo, pois amar a pátria é reconhecer como seus, todos os valores que dela emanam e tudo que nela existe.

Os hinos são conhecidos desde os primórdios da história e constituem uma das mais antigas formas assumidas pela poesia, são composições musicais com letra para cultuar alguém ou alguma coisa e sendo essa coisa uma nação, seu hino é o símbolo nacional que nos traz a mensagem literária e musical do que devemos saber da PATRIA, para ama-la e defende-la dos que por ignorância, prepotência e tirania, desrespeitam-na, ameaçando sua soberania.

Eu acho que o nosso hino é um dos mais bonitos do planeta, tem a letra e música cultas, a partir da introdução musical é uma obra de arte, que com a letra revelam harmoniosamente tudo que alguém espera de sua pátria, mostrando o que devemos fazer por ela.

Os autores foram muito felizes, se completaram, a letra na primeira parte é épica e logo passa ser romanticamente descritiva das virtudes desta terra, terminado em lirismo, demostrando paixão e louvor.

Para pensar: Ó Pátria amada, idolatrada, és tu Brasil, nem teme quem te adora, a própria morte!