De gaúcho para gaúcho!

Na manhã de Sexta-feira dia 18 de outubro de 2019, a nossa Assembleia Legislativa, marcou um ponto de ouro no coração de todos os gaúchos e gaúchas!

 

Por iniciativa do Deputado Luciano Zucco, foi condecorado com a Medalha do Mérito Farroupilha, (a mais alta homenagem do povo gaúcho, para a mais extraordinária figura pública do país no momento), o porto-alegrense, vice-presidente da República, General da reserva – Antônio Hamilton Martins Mourão, em uma cerimônia magnifica, sóbria, elevada, digna do homenageado e da casa que guarda e escreve a história parlamentar estadual.

 

Lá estavam, o cidadão que usa farda, o que usa gravata, da cidadã de farda a que usa saia civil, os rio-grandenses como eu que usamos bombacha, acompanhado por Derli Regis Carniel, presidente do Instituto Cavaleiros Farroupilhas, que torcemos para este país seguir o rumo da ordem e do progresso, e realmente testemunhamos nesse dia, que Deus estava acima de todos, pela harmonia e citações nos discursos dos que oraram.

 

Foi o que aconteceu no recinto, formou-se uma egrégora, vibrou uma força física e espiritual, do hino brasileiro ao rio-grandense, na emoção dos presentes que mentalmente vibraram num só sentido, o de cultuar a figura simples, humana, inteligente e sábia do homenageado, agradecido por ter nascido aqui e pela força que Deus lhe conduziu, fazendo brilhar a estrela maior dá que de general, a do amor gaudério que fulgiu pelo reconhecimento de seus serviços a Pátria, ao Rio Grande e a vida, com liberdade, igualdade e humanidade.

 

Nessa solenidade reencontramos o Cavaleio Farroupilha – TC. Joel Ferreira Pedreira, que está de volta ao pago, em grande estilo, coordenando o evento, ligado ao gabinete do proponente da homenagem, bem como abraçamos Benildo Perini, presidente da Casa Perini, uma das mais modernas, produtivas e premiadas vinícolas do Brasil, com quem no sábado e no domingo, seguintes do dia 18, confraternizamos em sua cantina na Comunidade Santos Anjos, distrito de Farroupilha, em belo final de curso da Academia do Espumante, dirigida por uma guria do Alegrete, num ágape de dar inveja a Bacco, com música de alto gosto pelo artista vacariano radicado há muito em Caxias do Sul, Clovis Garcez que toca gaita e canta qualquer estilo.

 

Logo desse ágape, a menos de 500 metros da cantina da vinícola, como um chamamento, rompeu pelo parreiral o som doutra gaita gaúcha, a do 24º Baile de Casais da comunidade dos santos angelinenses, embalado pelo Grupo Os Monarcas, do maestro Gildinho, atuando com 10 músicos talentosos no palco, festança que fomos ver de perto, sendo recebidos fidalgamente pela patronagem da Sociedade Cultural e Recreativa Trentino, que está em atividade a quase 90 anos nessa colônia, onde reina em seus habitantes, amizade, fé e esperança, alimentada pelo trabalho e pelas colheitas das cepas mais nobres do vinho gaúcho.

 

Para encerrar esse relato, sentencio que na serra o Rio Grande está mais gauchesco do que nunca, porque não esqueceu e fortaleceu as marcas da honra, do labor campeiro, da arte e da hospitalidade.

 

 Para pensar: Sem o devido respeito as culturas, as gentes, nem no campo e nem na cidade, a felicidade não faz morada!