Um Turismo Rural Autêntico II

O Instituto Cavaleiros Farroupilhas teve sua formação baseado no turismo histórico e segue há 25 anos seu mister estatutário, sem poupar apoio e investimento nesse setor tão importante e necessário para as pessoas e à economia estadual, que merece emergir compensadoramente aos empresários de todos os calibres que empregam sua vida nessa indústria sem chaminé, garantindo renda que sustentam suas famílias, funcionários e os cofres públicos.

Justamente por tudo isso, nasceu o projeto do ICF – CONHEÇA TEU PAGO ANTES DE VISITAR OUTRA QUERÊNCIA, sugerindo a população gaúcha, em primeiro saber de cor o que o Rio Grande do Sul oferece turisticamente, antes de sair gastando atoa, por fobia ou modismo, em outros estados ou países, mais por vaidade do que por cultura.

A nova ordem é investir e não gastar, enriquecer primeiro a si culturalmente, começando por sua terra, pois o que absorvemos espiritualmente ninguém nos toma e é nesse nível de lucides que saberemos discernir o que realmente paga a pena visitar em outras querências, pois já teremos dominado a nossa.

Na semana retrasada a equipe do STC – Sistema Tarca de Comunicação, conheceu a força turística rural de Arroio do Sal, nesta que passou, subiu para o nordeste gaúcho pelo litoral, para testemunhar a magia dos Aparados da Serra, em São José dos Ausentes, saindo de Eldorado do Sul. Foram 300 quilômetros de bela aventura, seguindo pela Estrada Marechal Osório à Terra de Areia, subindo na RS-486 Estrada do Sol, até pegar a RS-020 para Cambará do Sul, num roteiro cheio de atrações na Serra do Pinto, com paisagens, mirador e tuneis!

Em Cambará, aos Ausentes, uma estrada com 40 km de chão muito duro para carros baixos, liga a RS-285, tendo um trajeto de mais 18 km, até a Secretaria de Turismo de São José dos Ausentes. Aí se recebe, todas as informações que o turista precisa para ter uma estadia especial, numa das 10 pousadas rurais disponíveis no município, além de dois hotéis na cidade.

 

 

Nós fomos destinados para a Pousada Cachoeirão dos Rodrigues, a 32 km da RS-285 em direção do Sul de Santa Catarina, estabelecimento crioulo, tipo paraíso silvestre banhado pelo Rio Silveira que nasce no Canyon Monte Negro, ponto mais alto do Estado, e deságua no Rio Pelotas que forma o Rio Uruguai. Essa localidade, praticamente a 1.200 metros do nível do mar, fora reduto jesuítico a partir de 1727, compondo a grande Vacaria de Los Pinhales, lugar que em 1919 foi erguida a centenária Estância do Cachoeirão, propriedade do hospitaleiro casal Antônio Naques Camargo (descendente alemão) e Rosane (libanesa), ele neto do Rodrigues fundador da sede.

O clima é maravilho, sempre 10 graus a baixo do que está em Porto Alegre, torna a estadia uma delícia, acompanhada de ótima comida caseira e bebidas de todos os gostos, assistindo pela janela, animais de várias espécies ao ar livre, no som das águas rolando nas pedras do rio, que formão o cachoeirão, na encosta do mato nativo de lindas araucárias.

 

 

Para pensar: Quem sai do Rio Grande do Sul, para conhecer paisagens além mar sem ter ido aos Aparados da Serra, não tem noção do lugar em que vive!